segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Essencial (Paula Chaves)



Tudo que há de mais belo está onde nossos olhos não alcançam muito menos nossos meros conceitos morais sobre o que está em nossa frente.
Essência é algo que introjetamos nos nossos primeiros anos de existência, onde tudo ao redor nos preenche de forma a definir nosso verdadeiro eu. Por vezes, o essencial se perde em meio a um ego vazio.
Pessoas, situações, obrigações e conceitos, nos fazem muitas vezes agir bem longe daquilo que nossa verdadeira essência necessita.
Ás vezes, o coração bate forte, uma emoção diferente transborda no peito, algo diferente domina o pensamento, o sorriso vem como um sinal de felicidade, nessa hora a sensação é de como se tivéssemos voltado para um lugar ou momento, que é o nosso lugar, o nosso momento.
Liberdade é a palavra que mais combina com essência. As duas coisas, para que aconteçam, não podem encontrar barreiras. Qualquer tipo de exigência ou prisão não nos dá a liberdade que precisamos para mostrar verdadeiramente quem somos.
O eu mais autêntico se mostra longe do pensar, só acontece em momentos de descuido. Nessa hora, pessoas muito estereotipadas, escapam de suas vaidades e posições construídas, para se tornarem limpas, puras, mostram a verdadeira cara.
Tudo que se vê por ai nem sempre é aquilo que se mostra. Existe muita coisa por trás de um sorriso, de um choro, de um olhar. As nossas defesas não deixam escapar logo de cara a nossa natureza, seja por proteção ou por medo. O lado mais obscuro ou mais bonito de alguém está mais escondido e disfarçado do que imaginamos.
Para sentir e ver alguém, é preciso enxergar com a alma, os olhos muitas vezes enganam.
Pensamentos pré-concebidos deveriam ser deixados de lado.
Escutar é a ferramenta mais fácil para se chegar a quem verdadeiramente queremos conhecer.
Emoção é a palavra chave.
 Quantas vezes pessoas nos tocam com poucas palavras? E quantas vezes não sentimos emoção alguma quando estamos ao lado de alguém?  Aí nos perguntamos: “quem é aquela pessoa que parece ser logo de cara, tão estranha?”. Talvez se pensarmos bem, ela deve ter perdido sua essência em algum momento de sua vida ou mesmo naquele momento. Ou pode ser que ainda estejamos cegos, enxergando o externo, o efêmero, só o que se mostra e não o que se esconde.
Podemos refletir em como é bom sentir alguém por inteiro e que seja inteiro. Não pela metade, fragmentado, falso, vazio. E se formos mais longe, chegaremos à conclusão de que não é tão difícil entender as pessoas.
É muito bom quando vamos além, rompendo barreiras e descartando nossos medos. Assim as relações são mais verdadeiras, claras, o que permeia é o respeito ao outro e a si mesmo.
Usando palavras tão conhecidas e tão bem colocadas de Saint- Exupéry, termino o texto: “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.”

Paula Chaves

18 comentários:

  1. Bem profundo, algo que nos passa despercebido...Tantas vezes vemos alguém rindo quando por dentro chora e vice-versa...Parabéns!!
    Texto muito bom!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! Lindo texto! Quanta sensibilidade...tão bom seria se pudéssemos enxergar sempre com o coração.

    ResponderExcluir
  3. Ai Paula , é o que mais quero na minha vida... poder “sentir alguém por inteiro e que seja inteiro. Não pela metade, fragmentado, falso, vazio” em sua verdadeira essência, e tb ser sentida por inteiro em minha verdadeira essência. Haaa fiquei emocionada lendo esse texto, porque tive aquele sensação de “finalmente alguém me ente”. Amiga, adoraria compartilhar mais com vc, mas não pelo blog. Vou deixar outros contatos meus: dri.adrianagarcia@gmail.com
    dri.adrianagarcia@msn.com

    Boa semana! Gosto muito de vc. bjs

    ResponderExcluir
  4. Olà Paula
    "Pessoas, situações, obrigações e conceitos, nos fazem muitas vezes agir bem longe daquilo que nossa verdadeira essência necessita." Acabei de perceber isto na rebeliao da minha filha adolescente e na nossa reaçao, minha e do pai sobre seus comportamentos. Lendo e ouvindo opinioes como esta sua estamos nos ajudando a mudar nossa metalidade retrograda e tentando respeitar este grito de liberdade, esta busca da essencia de uma adolescente que amamos muito. E dificil viu!!! mas agradeço aos anjos como vc que nos lançam topicos como este p nos fazer refletir.
    Complimenti pelo seu crescimento profissional...se percebe atè mesmo no desenrrolar do seu blog. Acompanho sempre.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Paula!
    Acredito que o que você usou para concluir seu texto resume tudo nessa questão: respeito. É claro que nem sempre é possível respeitar nossa essência, porque as situações nas quais nos vemos envolvidos não permitem, então precisamos deixar algo de lado para poder nos doar ao outro, fazer o que o momento exige.
    Por outro lado, uma ação realizada simplesmente para agradar o outro, atrair atenção ou satisfazer o ego, sem levar em conta aquilo em que você acredita, a sua verdade, a sua necessidade... também não é nada legal.
    Acho que os momentos de silêncio são importantíssimos quando queremos nos conhecer e conhecer as outras pessoas, tentando achar um equilíbrio. Ouvir e observar, você mesma e os outros. Refletir com paciência. Ceder um pouco, quando preciso, mas sem esquecer de proporcionar atenção e carinho a si mesma. E as respostas vêm...
    Não sou especialista, não sei se fui clara... mas esse assunto com certeza rende muita reflexão! Assim a gente cresce. ;)
    Bjs, boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Respeito.
    Isso é tudo!! Tudo no relativo,tudo no absoluto.E o respeito consigo meso é o mais difícl.Tente se perdoar,seja vc mesmo,sempre....
    por dentro e por fora,onde quer que vc esteja,em qualquer situação,manifeste o que há de mais puro dentro de vc,saia do anonimato e diga EU EXISTO!!!!
    E lembre-se sempre agradeça por tudo,por tudo mesmo!!!

    ResponderExcluir
  7. ops... digo,
    sensação de “finalmente alguém me entende”.
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela rica inspiração filha!!!!Lembrei-me das palavras do sábio filósofo Martin Buber, no seu texto "EU-TU": "na relação dialógica as coisas "acontecem" entre o Eu-Tu. Os sentimentos habitam no homem, mas o homem habita no amor. O amor não é um sentimento ligado a um EU, sentimento que teria o TU por conteúdo ou objeto. Ele existe entre o EU e o TU. Quem não percebe esse aspecto, não conhece o amor, mesmo que atribua ao amor. O amor é um agir no mundo. Para quem habita no amor, contempla no amor, os homens se libertam de tudo quanto os mistura à confusão universal: bons e maus, sábios e loucos, belos e feios, todos, uma pós o outro, tornam-se reais aos seus olhos, tornam-se Tus, quer dizer, seres livres, separados, únicos".
    Te amo e te admiro muito!!! Bjs no coração

    ResponderExcluir
  9. Como Bob Marley já dizia: Preocupe-se mais com a sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e a sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, é problema deles.

    ResponderExcluir
  10. Paulinha,
    lindo texto!!! simplesmente perfeito!
    cada dia mais admiradora de vc...
    mil beijos!

    ResponderExcluir
  11. Perfeito... AMO DE VERDADE essa frase... em outro momento-post havia sugerido a leitura do livro O Pequeno Príncipe... não sei se você já havia tido a oportunidade de lê-lo ou se o fez... mas, de qualquer forma, não interessa muito... pois lendo ou não você extraiu o elixir da frase... PARABÉNS...
    Sabe! Paula... acredito muito na essência dessa frase... é verdade... as vezes nossos olhos nos traem... os nossos sentidos nos enganam... estamos ligados no que vemos, no que podemos tocar... pois, em muitas situações temos a necessidade de materializar sensações, sentimentos e até justificar o que se é, se sente, se quer, se pensa... pois, assim se tem o ledo engano de ESTAR E SER NO MUNDO... no entanto, esquecemos do fundamental... ESSENCIAL... basilar... aquilo que os olhos jamais poderão ver, as mãos jamais poderão tocar... O ESSENCIAL... aquilo que nos torna únicos no mundo (plagiando Saint- Exupéry)... aquilo que me diferencia de você... dele... do outro... e isso está intrinsecamente relacionado com o que se É... mas, NÃO o que eu sou pra você... o que você é para mim... o que sou para o outro... e o que o outro representa para mim... E, SIM, o que EU SOU para mim mesmo... ou melhor... o que se é para si... as atitudes que se tem perante o mundo... as pessoas... aquilo que se carrega no coração... reflete exatamente o ESSENCIAL... que é INVISÍVEL aos olhos... acredito que se buscar a sua própria essência... é ESSENCIAL para se ter uma vida PLENA E FELIZ... não é a toa que existe um ditado que se diz: a felicidade está dentro de nós... fica a reflexão: será que essa tal felicidade não é "irmã" desse tal ESSENCIAL... !!!!!... (quem sabe!!!!!!!!!!)... fica a dica... beijinhos... e maravilhosas descobertas a todos...

    ah! vou sugerir um livro interessante:
    O Alquimista - Paulo Coelho... talvez, possa dizer que podemos fazer um link com esse tema, pois fala da busca da Lenda Pessoal - que, talvez, seja o ESSENCIAL... muito bom...

    (obs: sem tempo para comentar os outro, mas li todos... excelentes... já estou de olho em outro - rssss - mas, só amanhã) - bj

    ResponderExcluir
  12. Andréia do Rocio Santos23 de novembro de 2011 10:48

    Agradeço por ter a oportunidade de ler seu texto e agradeça, pois a inspiração neste dia acordou com você. Beijos de luz em sua mente para que continue brilhando sua inspiração.

    ResponderExcluir
  13. oi, e realmente mas pena que para certas pessoas palavras nao tocam em seus coraçoes, e acho que deve para muitos ser dificil entender as pessoas, ja que quando pedimos por favor, nao nos dao nem a chance de responder, sem mesmo antes saber o porquê. uberlandia.uberlandia@hotmail.com
    se puder entrar em contato fico agradecida, agora se nao se pode retornar ok.

    ResponderExcluir
  14. Muito profundo Paula, parabéns.
    As vezes as coisas passam despercebidas entre agente e eu queria sentir alguém por inteiro...
    se você poder entrar em contato comigo vou agradecer muito...
    aninhabarrosbj@hotmail.com

    Se não puder fico grata do mesmo jeito...
    Beijão

    ResponderExcluir
  15. Deus nos deu dois ouvidos e uma boca, para ouvirmos mais e falarmos menos.

    ResponderExcluir
  16. Esse texto me fez refletir.quem sou eu?muitas vezes nos perdemos,precisamos ler algo profundo como esse texto para que possamos nos encontrar.lindo Paula Chaves,vc e o Victor tem um dom,vc em textos,e o Victor em canções maravilhosas,bjs.

    ResponderExcluir
  17. Quanta inspiração moça!Simplesmente tocante as palavras q acabei de ler,realmente algo profundo.Podemos encontrar dentro de nós mesmos nossa própria essência e quando isso acontece passamos entender as outras pessoas.Que bom poder ler algo tão bom e tão inspirador.Parabéns!Bjs
    meu email:ludmilla_cp@hotmail.com...Seria muito bom conversar com vc,ou se vc pelo menos enviasse emails tão bons como esse texto.Tudo de bom.Bjsssss

    ResponderExcluir
  18. Paula muito lindo o texto!
    Parabéns por essa sua sensibilidade.
    Abraços!

    ResponderExcluir