sexta-feira, 2 de setembro de 2011

OSHO

Já que estamos falando de setembro, o mês da chegada da primavera, deixo um pensamento metafórico do OSHO sobre a primavera interna, interessante! Bjs!


Assim como a primavera é muito amada pelas árvores, pássaros e peixes... Você não conhece sua primavera espiritual íntima. Ela ainda não veio, você ainda não a convidou. A primavera exterior vem e vai, vem e vai, mas a primavera interior só vem e nunca vai. É uma primavera eterna. Suas flores são flores da eternidade.
Uma vez iluminado você fica para sempre iluminado. Não há nenhum modo de voltar atrás. Quão mais esplendorosa e quão mais milagrosa será a primavera interior! Mesmo a exterior é tão grande; a interior não é apenas quantitativamente grande, ela é também qualitativamente grande.
A busca da verdade é a busca da primavera interior.
OSHO

2 comentários:

  1. Que lindo! Como é sublime a beleza da eternidade, e os bons sentimentos florindo e fluindo. Qto a verdade!? Ah sim, a sinceridade é que vai mostrando os caminhos.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Genteeeeeeeeee !!!!!!!!!!!!!!!!!! maravilhoso texto... esse Guru é realmente iluminado... afffffffff... PRIMAVERA INTERIOR... olha! que expiração!!!!!!!!!!!!... vamos lá... ... ... tentar decifrar esse texto... ... ... primeiro vamos pensar a primavera como estação do ano... é o refloreciemento da fauna e flora que estava "adormecida" por causa do inverno... agora vamos aplicá-la pensando nessa analogia que Osho usou... Primavera interior... muito bom... a natureza segue um ciclo natural da vida e com isso faz surgir as estações do ano que é a forma que o planeta equlibra-se para que não haja nem muito calor, nem frio, excesso de flores nem frutos... então, a medida que os meses passam o clima transforma-se promovendo o equilíbrio do ecossistema, do meio ambiente... é por isso que Osho diz que a primavera exterior sempre vem, pois faz parte do ciclo natural da vida... mas, ele faz referência à primavera interior e afirma que ela vem e nunca vai... ... ... ... ... talvez, ele queira dizer que quando nós nos permitimos desabrochar, florecer não voltamos mais ao "status quo"... é... somos seres humamos e como tais estamos em constante evolução... buscamos a todo momento nos descobrir enquanto pessoas... evoluir espiritualmente - mesmo os mais céticos... e esse é um processo apenas ascendente... pois a medida que evoluímos... nos conhecemos... crescemos... amadurecemos... e esse é um processo irreversível... então, quando chegamos ao ponto de brotarmos, florecer, desabrochar... é sinal que nossa primavera interior aconteceu... e não há de forma nenhuma como abandonarmos, descartamos o que foi armazenado no decorrer desse processo, dessa evolução... então, passamos a florecer sempre...

    ResponderExcluir